Incêndio Florestal: Atuação com água

por | jan 21, 2021 | Incêndio florestal | 0 Comentários

COMBATE AO INCÊNDIO FLORESTAL: ÁGUA

Os veículos, bombas e outros tipo de equipamentos destinados ao combate aos incêndios florestais são auxiliares preciosos dos bombeiros, mas requerem bastante formação prática, para que deles se possa tirar o melhor rendimento, na altura em que são necessários. Todos os bombeiros devem conhecê-los e saber utilizá-los, praticando e treinando sempre que possível. A utilização da água no combate direto apresenta, normalmente, bons resultados se for utilizada de forma adequada e com eficácia.

A água sob pressão, com mangueiras e esguichos adequados, consegue alcançar grandes distâncias e suprimir, com eficácia, e rapidez, extensões razoáveis de chamas, pode-se conseguir um melhor rendimento em água caso saiba como manusear o esguicho de forma correta.

A utilização do jato direto, à distancia, baixa o nível das chamas e permite não só uma melhor aproximação, mas também a extinção de consideráveis frentes, a uma distância razoável.
No entanto, próximo das chamas a sua utilização é inadequada, visto que com a utilização de água pulverizada, o efeito é muito superior.

O poder da água na extinção de incêndios florestais é importante, mas devido à sua escassez não deve ser desperdiçada. Sem dúvida há muitas formas de a poupar como, por exemplo:

Num incêndio nascente, ou em um de pequenas proporções, deve-se tentar quebrar o ritmo de progressão atuando diretamente sobre sua frente.
Quando isto não for possível, deve progredir pelos flancos, estando atento à orientação do vento por questão da dispersão da fumaça proveniente do incêndio.

  • Ervas: A água deve incidir na base das chamas, junto ao solo, cobrindo o combustível, durante o tempo necessário para a extinção das chamas.
  • Arvores e Troncos: A água deve ser mirada, inicialmente, na base destes e, logo após, subir ao longo do tronco/arvore. O reposicionamento de um foco de incêndio para outro devem ser feitos com o esguicho fechado/válvula fechada, para que não se desperdice água em áreas sem fogo.
  • A água deve ser pulverizada, de preferência.
  • Jato d’água só deve ser utilizado em caso de necessidade estrita, sendo para vencer distâncias, extinguir focos em partes elevadas ou atacar fogo intenso e permitir a aproximação da equipe, pois jatos correspondem em maior desperdício de água.

Referências bibliográficas: Combate à incêndios Florestais, SINTRA, 2006.

CEO, SUPERVISOR TÉCNICO, CONSULTOR E INSTRUTOR:

João José de Godoi - CEO

Bombeiro Civil, Técnico de segurança do trabalho, Enfermeiro e graduado em urgência e emergência, além de ter se especializado, posteriormente, em emergências, pela Teex.

Membro do Comitê Brasileiro de Segurança contra Incêndios, ajudou da elaboração de algumas normas técnicas na ABNT, sendo elas: NBR 14.276, NBR 14.608 e a NBR 15.219.

Cursos para especialização

Curso de Bombeiro civil

Especialização: Bombeiro Florestal

Prevenção e atuação em incêndio em vegetações